Termina obrigatoriedade da rastreabilidade de bovinos

Prevista para entrar em vigor em menos de 10 dias (01/11/2004), a obrigatoriedade da rastreabilidade de bovinos e bubalinos não é mais um problema para o produtor rural. O Sisbov (Sistema Brasileiro de Identificação e Certificação de Origem Bovina e Bubalina), só passa a valer para exportação.
A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), através do Fórum Permanente da Pecuária de Corte recebeu a notícia na tarde desta quinta-feira ( 21/10), em reunião realizada na Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). Desde o início do ano os produtores rurais lutam para derrubar a medida que além de aumentar o custo de produção, exigia prática de difícil manejo na lida do gado. A rastreabilidade é uma exigência somente do mercado comum europeu e estava atingido todos os produtores, indistintamente de produzirem para exportação ou não.
O presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), Leôncio de Souza Brito Filho participou de grupo de trabalho criado pelo Mapa para estudar o Sisbov, representando a Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados e suplente do Fórum Permanente da Pecuária de Corte/CNA. De Brasília Léo Brito informou que o fim da obrigatoriedade trás um grande alívio para os produtores rurais. “Não somos contra a rastreabilidade, porém ela deve ter critérios mais coerentes com os sistemas de produção do Brasil, que por sinal já produz carne de excelente qualidade”, disse Brito, destacando que valeu a pena todo esforço do Fórum Permanente da Pecuária de Corte da CNA, dirigida por Antenor Nogueira e da Câmara dos Deputados através do empenho dos deputados Waldemir Moka e Leonardo Vilela
De acordo com Brito, ao fim da rastreabilidade inclui animais de feiras, leilões e exposições agropecuárias. Ficou defino também que após o reconhecimento do Brasil como país livre da febre aftosa, pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Carne Bovina se reunirá para definir novo cronograma para registro, no Sisbov, de propriedades rurais cuja atividade seja a pecuária bovina ou bubalina.
Em relação as exportações, permanece a exigência dos frigoríficos de comprarem animais para abate registrados no Sisbov há pelo menos 40 dias. Também será mantida a exigência de registro dos animais importados.
A regulamentação das novas normas de rastreabilidade será editada pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento nos próximos dias.
Eudete Petelinkar

Fonte: FAMASUL